Pernambuco sedia encontro estadual que discute agroecologia

O evento é preparatório ao IV Encontro Nacional de Agroecologia, que será realizado em Belo Horizonte, no final de maio

Da Redação Brasil de Fato

Serra Talhada, no Sertão do Pajeú de Pernambuco receberá, nos dias 16 e 17, o Encontro Estadual de Agroecologia, que reunirá representantes de movimentos e organizações populares das lutas de mulheres, juventude, comunidades tradicionais, indígenas, quilombolas, pesca artesanal e da academia. A atividade será realizada na Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UAST/ UFRPE), e é uma realização das organizações que integram a Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) em Pernambuco. É também momento preparatório do IV Encontro Nacional de Agroecologia (ENA), a ser realizado no final de maio, em Belo Horizonte (MG). (mais…)

Ler Mais

Por que tenta-se vender a Eletrobrás a galope

Mais de 70% da população rejeitam privatização da empresa e do controle sobre rios brasileiros. Por isso, governo quer completar o serviço antes de qualquer reação popular

Por José Álvaro de Lima Cardoso*, em Outras Palavras

“O Novo Grande Jogo do século XXI continua a ser, sempre e ainda, sobre energia”
(Pepe Escobar, em Império do Caos)

A privatização do setor elétrico no Brasil, encaminhada de forma apressada pelo governo golpista, será útil para ajudar a resolver os problemas das multinacionais do setor e dos grupos que vão ganhar dinheiro com a privataria, que caracteriza sempre os processos de privatização em todo o mundo. Pretendem privatizar o sistema elétrico brasileiro porque ele é filé mignon e proporcionará muitos lucros aos grupos econômicos que o arrematarem a preço de banana. (mais…)

Ler Mais

A conta econômica e ambiental da água brasileira. Entrevista especial com Michel Lapip

Patricia Fachin – IHU On-Line

O estudo Contas Econômicas Ambientais da Água, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE e pela Agência Nacional da Água – ANA, com o apoio do Ministério do Meio Ambiente, apresentou os primeiros dados de como a água tem sido utilizada no país tanto pelos cidadãos quanto pelas atividades econômicas. Segundo Michel Lapip, economista do IBGE responsável pela pesquisa, os dados demonstram, “de forma integrada, como se usa a água no Brasil, desde sua retirada, consumo e orçamento, ou seja, o quanto se paga por essa água em todas as atividades econômicas. Dessa forma, é possível mapear quem está consumindo a água, quem a está retirando do meio ambiente, como ela está sendo usada, quanto está se pagando por esse uso, quem está lançando a água de volta ao meio ambiente etc. É possível ter um mapeamento completo de todo esse insumo na cadeia”, explica. (mais…)

Ler Mais

Após 2 anos, Governo Federal não cumpre sentença de fornecimento de água potável a comunidade indígena

Indígenas de Pyelito Kue, em Iguatemi (MS) continuam sujeitos a abastecimento irregular por caminhão-pipa e fontes não potáveis de água

MPF/MS

O Ministério Público Federal em Navíraí (MPF/MS) pediu à Justiça a intimação da União para que ela comprove a distribuição de água potável de maneira permanente à comunidade indígena Pyelito Kue, situada em Iguatemi (MS). Atualmente, a comunidade é servida por caminhão-pipa, com periodicidade irregular, e recorre a cursos d’água não potável, já que o abastecimento não é suficiente.  (mais…)

Ler Mais

É preciso lutar para não morrer de sede nas margens dos rios

Por Fernanda Cruz – Asacom

“Ninguém vai morrer de sede nas margens do rio Arrojado. E ninguém também não pode morrer de sede nas margens de rio nenhum. A sociedade tem que lutar pela vida. E a luta pela água é essa”, afirma Jamilton Magalhães, conhecido como Carreirinha, da Associação de Fundo e Fecho de Pasto de Correntina, na Bahia. Infelizmente, a intenção de Carreirinha não corresponde à realidade dos fatos. Apenas em 2016, cinco pessoas morreram em decorrência de conflitos pela água. A informação é do relatório Conflitos do Campo Brasil, publicado pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) em 2017, que aponta 172 conflitos de água no Brasil. Segundo a própria CPT, esse número pode ser ainda maior, pois algumas mortes ocasionadas pela luta pela terra também abarcam conflitos pela água. Na verdade, a palavra conflito esconde (ou pode atenuar) a seriedade do embate, que se acentua cada vez mais no Brasil rural entre grandes fazendeiros e especuladores de terras e moradores do território que convivem há gerações em harmonia com as plantas e animais, preservando tanto os recursos naturais, como as águas superficiais de rios e córregos e aquelas guardadas nos lençóis freáticos. (mais…)

Ler Mais

TRF1 determina fornecimento de água potável para comunidade indígena Nokuriñ

Ofício da Funai informou que água consumida pelos indígenas apresenta alto índice de contaminação por coliformes fecais e outros micro-organismos

Procuradoria Regional da República da 1ª Região

A pedido do Ministério Público Federal (MPF), o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) negou recurso da União e manteve decisão que determinou o fornecimento de água potável à comunidade indígena Nokuriñ, localizada no Córrego Pezinho, em Campanário (MG). O MPF destacou que a escassez de água e a utilização de água imprópria ao consumo humano sujeitam os indígenas a diversas doenças que colocam em risco a saúde de toda a população da aldeia. (mais…)

Ler Mais

FSM/2018 – Tenda do Bem Viver reafirmou Nuclear Não!

Zoraide Vilasboas, Movimento Paulo Jackson – Ética, Justiça, Cidadania / Articulação Antinuclear Brasileira

Atividades realizadas na Tenda durante o Fórum Social Mundial (FSM), ocorrido de 13 a 17 deste mês na Universidade Federal da Bahia (UFBA), evidenciaram que a resposta à barbárie capitalista é a sociedade do Bem Viver, na qual não têm lugar: o agro e o hidronegócio, que violentam a humanidade com a espoliação de territórios; o agroveneno nos alimentos; a privatização da água; a expropriação nem a entrega dos bens comuns do povo e da natureza a grandes corporações privadas. Também não têm vez a indústria bélica, nem o uso da tecnologia nuclear para produzir energia elétrica. (mais…)

Ler Mais

Jogo de titãs: O implacável Antropoceno x a resiliência ecossistêmica

Por Sucena Shkrada Resk, no Blog Cidadãos do Mundo

Hoje 75% da superfície terrestre estão impactadas pelas atividades humanas e a projeção é de que essa destruição atinja 85% até 2050  e já afeta pelo menos 3,2 bilhões de pessoas no planeta. Alguém acha pouco? Mais de 100 pesquisadores de 45 países da Plataforma Intergovernamental de Políticas Científicas sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES), que reúne a representação de 129 estados-membros, produziram o relatório sobre o Agravamento da degradação do solo causado pelas atividades humanas e restauração, o qual alerta sobre os efeitos implacáveis no Antropoceno e propõe alternativas de remediação. O documento, resultado de um trabalho de três anos, foi divulgado nesta segunda-feira (26/3), na Colômbia,  ampliando a mensagem da Organizações das Nações Unidas (ONU), que destacou também neste mês que a saída para a gestão das águas está nos “Serviços Baseados na Natureza” (SbN) (veja #Recursoshídricos: o pedido de socorro ao Ecossistema). (mais…)

Ler Mais

FAMA 2018: a água tem direitos e é bem comum, por Frei Gilvander Moreira[1]

Em Brasília, de 17 a 22 de março de 2018, aconteceu o Fórum Alternativo Mundial da Água (FAMA) como contraponto ao fórum das corporações – Fórum Mundial da Água. O FAMA teve a participação de sete mil militantes defensoras/es da irmã água, de 35 países, de todos os continentes, articulados em 450 organizações nacionais e internacionais. Nas oficinas, rodas de conversas, conferências, filas do povo, marcha e Ato Inter-religioso ficou claro que o capitalismo é, de fato, uma máquina de moer vidas humanas e vidas de todos os outros seres vivos. Braço do capital no campo, o agronegócio tem demonstrado muitas contradições, entre as quais duas se destacam: uso abusivo de agrotóxicos e dizimação das fontes de água. Por meio do hidronegócio, o agronegócio está sendo um vampiro das águas, e está envenenando a comida do povo com abusivo uso de agrotóxicos e, com isso, adoecendo a população. São 600 mil pessoas contraindo câncer por ano. Esse número está crescendo. (mais…)

Ler Mais

Água: um bem comum ameaçado, por Cândido Grzybowski

do Ibase

O dia 22 de março é o Dia Mundial da Água. Quando, porque e por quem foi definido tal dia não tenho ideia. Sem dúvida, a água merece ser celebrada e reverenciada. Sem ela não é possível a vida, de nenhuma forma. Aproximadamente 70% da superfície terrestre estão cobertos por água de mares, lagos e rios. No entanto, a água sofre monumentais agressões humanas no seu ciclo ecológico de permanente renovação, fundamental para a vida. E hoje, com a mudança climática em curso, o sistema ecológico da água já apresenta alarmantes sinais de alteração profunda, capaz de afetar radicalmente os habitats humanos e das espécies vegetais e animais. (mais…)

Ler Mais