Famílias ocupam terra devoluta em Rio Pardo de Minas

Na CPT

Neste sábado dia 18/02, trinta famílias no município de Rio Pardo de Minas ocuparam a fazenda Santa Bárbara que vem sendo degradada pela empresa monocultora Replasa que se diz proprietária, no entanto, pertence ao Estado. A grilagem de terras no Norte de Minas acontece desde a década de 30 e vem se concretizando através de centenas de fraudes e da expulsão das famílias camponesas que dependem e produzem na terra.

A cobiça nas terras do Estado nesta região cresce cada vez mais com a intensa investida de grandes projetos como a monocultura de eucalipto e mineração. A região foi alvo de investigação denominado “Operação Grilo” no ano de 2011 em que derrubou o secretário de Estado de Regularização Fundiária, Manoel Costa. A história da região é recheada desse tipo de crime e infelizmente não houve desfecho que favorecesse ao povo da região que ainda é vítima dessas armações.

As famílias que ocupam a fazenda Santa Bárbara reivindicam que a história tenha um desfecho diferente e que neste caso o capital não sobressaia as necessidades do povo e que a justiça, após décadas de usurpação e exploração seja feita. Que o Estado cumpra seu papel e recupere as terras que estão nas mãos das grandes empresas e as entregue a quem de fato constrói esse país.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.