Turma com 41 indígenas de cinco povos se forma na Universidade Federal do Amapá

Curso completou 10 anos de existência no Campus Binacional da Unifap, em Oiapoque. 41 índios do Norte do estado se formaram em Licenciatura Intercultural Indígena

Por Carlos Alberto Jr, G1 AP, Macapá

O curso de Licenciatura Intercultural Indígena, da Universidade Federal do Amapá (Unifap), concedeu diploma de ensino superior a 41 índios de cinco tribos de Oiapoque, município a 590 quilômetros de Macapá. Os graduandos agora poderão lecionar sobre as características dos próprios povos e a relação com as transformações do ambiente.

Os indígenas são das tribos Galibi-Marworno, Karipuna, Palikur, Waiãpi e Apalai. As aulas aconteceram no campus binacional da Unifap em Oiapoque. A formatura ocorreu entre os dias 12 e 18 de julho durante um evento que comemorou os dez anos da implantação do curso.

A graduação é dedicada exclusivamente aos indígenas. Repleta de simbologia, a cerimônia contou com momentos como o canto das mulheres das tribos, que abençoou os formandos. O rito também teve a ampla participação das comunidades da região, além de academicos.

“Essa formatura e esse evento consolidam os 10 anos de um curso que traz a realidade do povo amapaense, em especial de Oiapoque. Formar 41 professores mostra o papel da universidade e consolida o campus binacional como um importante instrumento de formação acadêmica”, exalta o pró-reitor de extensão e ações comunitárias da Unifap, Rafael Pontes.

A cerimônia de graduação fez parte da programação do simpósio “Os Indígenas e a Universidade: 10 anos de Lutas, Conquistas e Desafios do Curso de Licenciatura Intercultural Indígena”.

Durante sete dias, discutiu-se a presença dos povos na universidade, tendo como foco a necessidade da ampliação e adaptação das políticas de acesso e permanência dos indígenas aos cursos de graduação e pós-graduação da Unifap.

Foto: Unifap

Formandos são pertencentes aos povos Galibi-Marworno, Karipuna, Palikur, Waiãpi e Apalai. Foto: Unifap

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.