Metade dos votos para Temer saiu da Frente Parlamentar da Agropecuária

Presidente almoçou um dia antes com deputados da FPA, que somaram 129 dos 263 votos pelo fim da denúncia; outros 54 ruralistas votaram contra Temer

Por Alceu Luís Castilho – De Olho nos Ruralistas

A bancada ruralista formalizada foi decisiva para manter Michel Temer no poder. Dos 263 votos pelo arquivamento da denúncia contra o presidente, nesta quarta-feira (02/08)  na Câmara, 129 foram dados por deputados da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), com quem ele almoçou um dia antes. O levantamento foi feito pelo De Olho nos Ruralistas a partir dos dados da votação no plenário e da FPA.

A agenda do governo tem coincidido com a agenda dos defensores do agronegócio – para quem ele distribui medidas como o perdão de dívidas dos produtores rurais: “Temer autoriza pagamento de dívidas rurais até 2032“. Segundo o G1, o governo abrirá mão de mais de R$ 10 milhões em arrecadação com o alívio das dívidas.

Outros 54 membros da frente agropecuária votaram pela aprovação da denúncia contra Temer. Entre eles cinco deputados do PT, seis do PDT e seis do PSB, partidos que fazem oposição ao governo. A maior surpresa entre os rebeldes foi o voto do deputado Luis Carlos Heinze (PP-RS), uma das vozes mais eloquentes da bancada ruralista. Outra exceção foi Mandetta (DEM-MS).

Quase todos os demais líderes da FPA, porém, votaram a favor de Temer. Entre eles o presidente da frente, Nilson Leitão (PSDB-MT), os deputados Alceu Moreira (PMDB-RS) e Marcos Montes (PSD-MG) e a deputada Tereza Cristina (PSB-MS). A maior parte do núcleo duro da frente fez parte da CPI da Funai e do Incra, que criminalizou indígenas, antropólogos, procuradores e defensores de direitos dos povos indígenas.

AUSENTES E PRESENTES

Doze entre as 19 abstenções também saíram da Frente Parlamentar da Agropecuária. Entre esses doze deputados estava Osmar Serraglio (PMDB-PR), ministro da Justiça durante parte do governo Temer e o principal articulador jurídico da bancada. Outros ruralistas atuantes que se abstiveram são Reinhold Stephanes (PSD-PR), que já foi ministro da Agricultura, e a deputada Shéridan (PSDB-RR).

Nem todos os deputados ruralistas fazem parte da FPA. Ou não estão na lista disponibilizada pela frente. A maioria deles também votou pelo arquivamento da denúncia contra Temer. Entre eles estão Beto Mansur (PRB-SP), Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Elcione Barbalho (PMDB-PA), Josué Bengtson (PTB-PA), Heráclito Fortes (PSB-PI) e Paulo Maluf (PP-SP).

Isto entre os deputados mais diretamente ligados a empresas agropecuárias ou detentores de grandes propriedades rurais. Outros parlamentares alinhados com Temer fazem parte de clãs familiares também ligados ao agronegócio, como Fábio Faria (PSD-RN) e Felipe Maia (DEM-RN). A lista dos que se alinham com os interesses ruralistas é ainda mais ampla.

VEJA QUEM VOTOU A FAVOR

Confira, por região, a lista de deputados da Frente Parlamentar da Agropecuária que enterraram o processo contra Temer na Câmara:

Região Norte:

Abel Mesquita Jr (DEM-RR), André Abdon (PP-AP), Carlos Gaguim (Pode-TO), Edio Lopes (PR-RR), Jéssica Santos (PMDB-AC), Josi Araújo (Pode-AP), Lázaro Botelho (PP-TO), Lucio Mosquini (PMDB-RO), Luiz Cláudio (PR-RO), Marinha Raupp (PMDB-RO), Nilton Capixaba (PTB-RO), Roberto Góes (PDT-AP), Silas Câmara (PRB-AM).

Região Centro-Oeste:

Adilton Sachetti (PSB-MT), Alberto Fraga (DEM-DF), Carlos Bezerra (PMDB-MT), Célio Silveira (PSDB-GO), Daniel Vilela (PMDB-GO), Eliseu Dionizio (PSDB-MS), Ezequiel Fonseca (PP-MT), Fabio Garcia (PSB-MT), Geraldo Resende (PSDB-MS), Heuler Cruvinel (PSD-GO), Izalci Lucas (PSDB-DF), João Campos (PRB-GO), Jovair Arantes (PTB-GO), Lucas Vergilio (SD-GO), Magda Mofatto (PR-GO), Nilson Leitão (PSDB-MT), Pedro Chaves (PMDB-GO), Professor Victorio Galli (PSC-MT), Roberto Balestra (PP-GO), Tereza Cristina (PSB-MS).

Região Nordeste:

André Amaral (PMDB-PB), André Fufuca (PP-MA), Aníbal Gomes (PMDB-CE), Antonio Imbassahy (PMDB-BA), Arthur Lira (PP-AL), Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), Átila Lira (PSB-PI), Benito Gama (PTB-BA), Benjamin Maranhão (SD-PB), Beto Rosado (PP-RN), Claudio Cajado (DEM-BA), Cleber Verde (PRB-MA), Danilo Forte (PSB-CE), Domingos Neto (PSD-CE), Efraim Filho (DEM-PB), Genecias Noronha (SD-CE), Hildo Rocha (PMDB-MA), Hugo Motta (PMDB-PB), João Carlos Bacelar (PR-BA), José Carlos Araújo (PR-BA), José Rocha (PR-BA), Julio Cesar (PSD-PI), Juscelino Filho (DEM-MA), Lucio Vieira Lima (PMDB-BA), Mara Beltrão (PMDB-AL), Paes Landim (PTB-PI), Rômulo Gouveia (PSD-PB), Walter Alves (PMDB-RN).

Região Sudeste:

Aelton Freitas (PP-MG), Aureo (SD-RJ), Baleia Rossi (PMDB-SP), Bilac Pinto (PR-MG), Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), Bruna Furlan (PSDB-SP), Carlos Melles (DEM-MG), Celso Jacob (PMDB-RJ), Cristiane Brasil (PTB-RJ), Diego Andrade (PSD-MG), Domingos Sávio (PSDB-MG), Eli Corrêa Filho (DEM-SP), Evandro Gussi (PV-SP), Ezequiel Teixeira (Pode-RJ), Fábio Ramalho (PMDB-MG), Fausto Pinato (PP-SP), Francisco Floriano (DEM-RJ), Guilherme Mussi (PP-SP), Henrique Passos (PSD-SP), Jaime Martins (PSD-MG), Leonardo Picciani (PMDB-RJ), Marcelo Aro (PHS-MG), Marcos Montes (PSD-MG), Marcus Pestana (PSDB-MG), Marcus Vicente (PP-ES), Mauro Lopes (PMDB-MG), Milton Monti (PR-SP), Misael Varela (DEM-MG), Nelson Marquezelli (PTB-SP), Newton Cardoso Jr (PMDB-MG), Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), Paulo Feijó (PR-RJ), Paulinho da Força (SD-SP), Raquel Muniz (PSD-MG), Renzo Braz (PP-MG), Roberto Sales (PRB-RJ), Saraiva Felipe (PMDB-MG), Soraya Santos (PMDB-RJ), Toninho Pinheiro (PP-MG), Zé Silva (SD-MG).

Região Sul:

Alceu Moreira (PMDB-RS), Alex Canziani (PTB-PR), Alfredo Kaefer (PSL-PR), Celso Maldaner (PMDB-SC), Covatti Filho (PP-RS), Darcisio Perondi (PMDB-RS),  Dilceu Sperafico (PP-PR), Edmar Arruda (PSD-PR), Evandro Roman (PSD-PR), Giacobo (PR-PR), Hermes Parcianello (PMDB-PR), João Rodrigues (PSD-SC), Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), Luiz Nishimori (PR-PR), Marco Tebaldi (PSDB-SC), Mauro Pereira (PMDB-RS), Nelson Meurer (PP-PR), Osmar Terra (PMDB-RS), Renato Moling (PP-RS), Rogério Peninha (PMDB-SC), Ronaldo Benedet (PMDB-SC), Sergio Souza (PMDB-PR), Takayama (PSC-PR), Valdir Colatto (PMDB-SC).

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.