Temer diz que Deus o colocou lá. Que Deus? Eduardo Cunha ou o Mercado?, por Leonardo Sakamoto

Blog do Sakamoto

Temer disse, nesta terça (27), que não sabe a razão de Deus tê-lo colocado na Presidência da República.

”Tenho orgulho de ser presidente. Convenhamos, é uma coisa extraordinária. Para mim é algo tocante. É algo que, não sei como Deus me colocou aqui, dando-me uma tarefa difícil, mas certamente para que eu pudesse cumpri-la. Especialmente pelos avanços que meu governo praticou e não permitirei que me acusem de crimes que jamais cometi.”

Não acredito que Temer se veja como o eleito, o ungido, o escolhido pelo toque do divino para liderar uma nação na direção de seu futuro glorioso. Líderes políticos brasileiros sempre apelaram ao messianismo, o que é deprimente. Mas no caso de Temer chegaria a ser constrangedor.

Há dois candidatos a merecer o codinome de ”Deus” por Temer.

Primeiro, o ex-presidente da Câmara dos Deputados, ex-deputado federal e hoje, detento por conta da Lava Jato, Eduardo Cunha. Foi ele quem tornou possível o impeachment de Dilma Rousseff. E quando os deputados proferiam seus votos em nome de Deus (sendo contra ou a favor da saída de Dilma, você há de convir que aquela votação foi bizarra), era em Cunha, no dinheiro e nas promessas que ele trazia, em que pensavam.

Muitos imaginaram que, derrubando o governo do PT, seria possível chegar a um ”grande acordo nacional” para salvar suas peles das consequências da Operação Lava Jato. Não deu muito certo.

Mas ”Deus” também pode ser o mercado financeiro e as grandes empresas.

Temer recebeu duas tarefas do poder econômico: ”Combater a crise econômica jogando a fatura para longe do colo dos mais ricos” e ”Aproveitar a crise para reduzir o Estado – não na parte que garante subsídios, desonerações e isenções de impostos sobre lucros e dividendos, o que beneficia aos ricos, mas reduzindo a parte que atende às necessidades da xepa humilde”.

Acuado por denúncias de corrupção envolvendo a ele, sua equipe e sua base de apoio, colocou seus aliados para apressar as ditas reformas estruturais assim que substituiu Dilma Rousseff. Patos Amarelos que não se incomodam tanto com a corrupção desde que a missão seja cumprida prometeram apoio. Até porque, pelo que mostram as delações, tem muito Pato Amarelo com lama até o bico.

Enquanto isso, o Deus cristão está com paradeiro desconhecido. Após Temer dizer que foi ele quem o colocou lá, Ele estaria sendo procurado pela Polícia Federal. Tendo em vista o histórico do tipo de relação do ocupante da Presidência da República, discute-se se isso significa que o Santíssimo levou algum. Ou carregou alguma mala.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

1 × três =