Ministério Público do Rio vai investigar encontro em que Crivella ofereceu benefícios a pastores, aproveitando ‘oportunidade dada por Deus’

O Prefeito ofereceu a cerca de 250 pastores evangélicos benefícios como cirurgias de cataratas, vasectomia e varizes, além de isenção de IPTU. E explicou: “Igreja não pode pagar IPTU, nem em caso de salão alugado. Mas, se você não falar com o doutor Milton, esse processo pode demorar e demorar. Nós temos que aproveitar que Deus nos deu a oportunidade de estar na Prefeitura para esses processos andarem”. (TP)

No G1 RJ

O Ministério Público do Rio de Janeiro informou nesta sexta-feira (6) que serão investigadas as circunstâncias do encontro do prefeito Marcelo Crivella com fiéis e pastores evangélicos no Palácio da Cidade, em Botafogo, na Zona Sul do Rio.

“O caso será regularmente investigado e as providências que se mostrarem adequadas ao final serão tomadas”, informou o MP.

Na reunião ocorrida na quarta-feira (4), segundo antecipou o jornal O Globo, os pastores e fiéis podiam levar qualquer reivindicação e, em troca, a prefeitura falaria sobre o que teria a oferecer para os convidados.

Em áudios da reunião exibidos pelo Bom Dia Rio, Crivella promete solução para os problemas com IPTU (Imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana).

O MP informou que o Centro de Apoio às Promotorias Eleitorais do órgão “distribuiu notícia do fato para a Promotoria Eleitoral com atribuição para investigação e apuração”. No texto, foi explicado que eventual ação caberá ao Procurador Regional Eleitoral (PRE).

Também segundo o MP, a reportagem sobre o encontro do prefeito no Palácio da Cidade também será enviada pela Coordenação de Saúde do órgão para a promotoria da área para fiscalização da política de regulação no SUS (Sistema Único de Saúde).

E, ainda, foi comunicado que “a coordenação das Promotorias de Justiça da Cidadania distribuiu para análise em inquérito civil por considerar a possibilidade de inobservância da laicidade do estado, conferindo tratamento privilegiado aos fiéis de um determinado segmento religioso, o que é vedado pela Constituição e pode, em tese, configurar improbidade administrativa”.

‘Privilégios’

Em entrevista ao repórter André Trigueiro, o procurador-geral de Justiça do RJ, Eduardo Gussem, disse considerar “forte” o áudio que reproduz as promessas de Crivella a líderes religiosos e pastores. Gussem avaliou que as afirmações do prefeito ferem princípios jurídicos.

“Realmente, o áudio apresentado é muito forte. Ele evidencia que o prefeito Marcelo Crivella, ele privilegia um grupo de pessoas. Grupo esse composto, na sua essência, por pastores e líderes religiosos. E isso, juridicamente falando, foge à finalidade principal que deve ser sempre vista do interesse público e fere também o princípio da impessoalidade, em que todos os cidadãos precisam ser tratados em igualidade de direitos”, afirmou Gussem.

Agilidade para cirurgias

No encontro, Crivella ofereceu, por exemplo, agilidade para quem precisasse de cirurgias de catarata nos hospitais federais e municipais do Rio

“Nós estamos fazendo o mutirão da catarata. Contratei 15 mil cirurgias até o final do ano. Então, se os irmãos tiverem alguém na igreja com problema de catarata, se os irmãos conhecerem alguém, por favor falem com a Márcia. É só conversar com a Márcia que ela vai anotar, vai encaminhar, e daqui uma semana ou duas eles estão operando”, afirmou o prefeito.

Embora prometa agilidade para o grupo com quem se reuniu, a realidade no Rio é que milhares de pessoas aguardam na fila pela cirurgia de catarata. E a espera pode ser longa.

Quando o plano de cirurgias do município foi lançado em abril, eram 15 mil pessoas na fila aguardando pela operação. Ainda durante a reunião, o prefeito do Rio continuou oferecendo outras vantagens, como para o tratamento de varizes.

“A outra, são varizes. A maioria são mulheres que estouram uma variz na perna e abre uma ferida que não fecha. E a senhora apenas troca o curativo. Hoje existe uma maneira, injeta na veia dela uma espuma medicinal e fecha a ferida, uma bênção. Também, por favor, falem com a Márcia. E tem a vasectomia para os homens, estamos zerando a fila”, acrescentou Crivella.

Ao lado do prefeito, no encontro, estava o pré-candidato a deputado federal pelo PRB, Rubens Teixeira.

Crivella falou durante uma hora e a assessoria do prefeito pediu para ninguém usar o celular. No final, os pastores anotaram todos os pedidos num papel e entregaram aos assessores do prefeito. Segundo a reportagem de O Globo, um dos organizadores terminou a reunião dizendo “até breve”.

Outro lado

Em nota, a Prefeitura do Rio informou que a reunião teve como objetivo prestar contas e divulgar serviços importantes para a sociedade, entre eles o mutirão de cirurgias de catarata e o programa sem varizes.

A prefeitura disse ainda que os templos de todas as denominações religiosas estão isentos do pagamento de IPTU e que, desde o início de gestão, o prefeito Marcelo Crivella já recebeu os mais diversos representantes da sociedade civil, para tratar dos mais variados assuntos, tanto no gabinete quanto no Palácio da Cidade.

A prefeitura também afirmou que a reunião já estava agendada, mas não explicou o motivo pelo qual a assessora do prefeito pede para que os participantes não usem o celular.

***

Abaixo, gravação de áudio com trechos da reunião, postada em rede social:

A Prefeitura do Rio de Janeiro

Publicado por Sergio Granja em Sexta, 6 de julho de 2018

Comments (2)

  1. “Igreja não pode pagar IPTU” ele disse e está certíssimo.
    É DIREITO DAS IGREJAS A ISENÇÃO DO IPTU.
    O que o prefeito está oferecendo é a ajuda necessária para se fazer cumprir a lei.

  2. Esse omportamento do Crivella é inaceitável, não Republicano. Justamente depois de tudo que assistimos nos ultimos cinco anos. O MP certamente não ficará omisso.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

12 + 10 =