#VazaJato11: ‘E agora, José?’ Deltan Dallagnol, em chats secretos, sugeriu que Sergio Moro protegeria Flávio Bolsonaro para não desagradar ao presidente e não perder indicação ao STF

The Intercept Brasil nos traz hoje a décima-primeira reportagem sobre a Lava Jato, agora mostrando avaliações críticas quanto à atuação de Sérgio Moro – prestes a assumir o Ministério da Justiça – em relação a Flávio Bolsonaro e Queiroz.

Glenn Greenwald e Victor Pougy revelam, por exemplo, falas nas quais Deltan Dallagnol antevê o comportamento de Moro a respeito, em 8 de dezembro de 2018:

Dallagnol – 08:53:37 – Moro deve aguardar a apuração e ver quem será implicado. Filho certamente. O problema é: o pai vai deixar? Ou pior, e se o pai estiver implicado, o que pode indicar o rolo dos empréstimos?

Dallagnol – 08:54:21 – Seja como for, presidente não vai afastar o filho. E se isso tudo acontecer antes de aparecer vaga no supremo?

Dallagnol – 08:58:11 – Agora, Bolso terá algum interesse em aparelhar a PGR, embora o Flávio tenha foro no TJRJ. Última saída seria dar um ministério e blindar ele na PGR. Pra isso, teria que achar um colega bem trampa

A reportagem completa por ser lida no Intercept, seguindo o link AQUI.

Fabrício Queiroz é pai de Nathalia Queiroz, outra ex-assessora de Jair Bolsonaro que não tinham crachá, nem visitou a Câmara – Reprodução Instagram


Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

dez − 1 =