Sindicato de jornalistas lança manual contra censura na EBC

Entidade aponta aumento de “denúncias de perseguições” praticadas na Empresa Brasil de Comunicação no governo Bolsonaro

Por Rafael Tatemoto, no Brasil de Fato

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal lançou um “minimanual para combater a censura na EBC [Empresa Brasil de Comunicação]”. Segundo a entidade, o documento – divulgado nesta quinta-feira (26) – tem como objetivo ser um “instrumento de proteção dos jornalistas da empresa pública”. 

A motivação do sindicato foi o “aumento nas denúncias de perseguições ao conteúdo jornalístico produzido por repórteres e editores por parte da direção” da empresa e a “imposição de governismo e de censura por parte de coordenadores e chefes”. 

Integrante da diretoria do Sindicato e trabalhador licenciado da EBC, Gésio Passos afirma que o governo de Jair Bolsonaro (PSL) tem promovido uma série de constrangimentos aos profissionais da empresa, em uma escala inédita. 

“A situação da EBC acabou se agravando desde que o Bolsonaro assumiu.Com a nova direção da empresa se intensificaram ações de censura, de governismo, uma programação muito voltada para ações de governo. Muito maior que no governo Temer, inclusive”, critica.

O governo promoveu a fusão da TV NBR, de caráter governamental, e a TV Brasil, de caráter público. A “confusão”, segundo Passos, impede jornalistas e editores de promoveram a cobertura de temas relevantes, principalmente ligados a direitos humanos, conforme o estabelecido pela lei que regula o funcionamento da EBC. 

Jornalistas dos diversos veículos da EBC reclamam, por exemplo, de pautas sobre o aumento de feminicídios e sobre os dados do Atlas da Violência terem sido vetadas por chefias. A cobertura do caso Marielle Franco, reclamam outros, também sofreu tentativas de limitação. 

Segundo estimativa do Sindicato, cerca de 40% do jornal televisivo da EBC atende a demandas diretas do governo. 

“Esse minimanual foi uma demanda dos próprios trabalhadores. É um compêndio de leis, para mostrar que o papel da EBC é atender a sociedade, e que o jornalista tem dever de exigir que a pauta seja plural, que outros lados sejam ouvidos, como prevê a lei. É um instrumento de constrangimento das chefias, que vem promovendo censuras aos jornalistas”, diz. 

O minimanual compila dispositivos do Manual de Jornalismo da EBC, da lei que criou a empresa, do Código de Ética Profissional da EBC e e do Código de Ética dos Jornalistas. 

Edição: Rodrigo Chagas

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

8 + cinco =