Lula e Petro defendem mais cooperação entre Brasil e Colômbia na proteção amazônica

Em visita a Bogotá, Lula reforçou interesse em fortalecer uma agenda ambiental conjunta e estruturada com a Colômbia, com foco no desenvolvimento sustentável na Amazônia.

ClimaInfo

Meio ambiente e clima foram tópicos importantes nas conversas do presidente Lula em sua visita de estado à Colômbia, realizada nesta semana. Ao lado do contraparte colombiano, Gustavo Petro, o mandatário brasileiro defendeu a cooperação entre os dois países em agendas estratégicas, como desenvolvimento sustentável, proteção da Amazônia e ação contra a crise climática.

“A vocação para unir o Caribe, o Pacífico e a Amazônia torna a Colômbia um sócio indispensável. Estamos bem posicionados para fazer frente ao imperativo da transição ecológica e da reindustrialização de nossas economias”, afirmou Lula durante coletiva de imprensa na última 4ª feira (17/4) em Bogotá. “Compartilhamos a maior floresta tropical do mundo, uma reserva de biodiversidade incomparável e fonte de conhecimento e tecnologias valiosas”.

O líder colombiano ressaltou a importância da ação concertada entre Brasil e Colômbia para proteger a Amazônia e conter as mudanças climáticas. “Se acabar a floresta amazônica, não haverá água em Bogotá e em toda a Cordilheira [dos Andes]. Aqui temos uma atuação comum de Brasil e Colômbia convidando os demais países amazônicos para salvar a floresta”, disse Petro.

Lula também defendeu o aprofundamento das relações com a Colômbia como um passo importante para recuperar os espaços de cooperação e integração regional na América do Sul, inviabilizados na última década. “Quanto mais fortes nós estivermos, mais seremos respeitados por Estados Unidos, União Europeia, China, Rússia ou Índia. Não é a subserviência que faz a gente crescer. O que faz a gente crescer é uma posição ativa e altiva para que a gente se faça respeitar no mundo dos negócios”, disse.

Neste ano, a realização da COP16 da Convenção da ONU sobre Diversidade Biológica (CDB) na Colômbia, programada para acontecer em outubro em Cali, colocou o país na rota das discussões internacionais sobre meio ambiente. Lula, que receberá a COP30 sobre mudança do clima no ano que vem em Belém do Pará, sinalizou que deve participar do encontro no país vizinho.

A retomada da cooperação regional para a Amazônia faz parte da estratégia de reinserção do Brasil na política internacional do governo Lula, inaugurada ano passado na Cúpula da Amazônia. Naquele evento, Petro foi um dos destaques por defender uma moratória de novos projetos de combustíveis fósseis na região amazônica. A posição causou incômodo ao governo brasileiro, que segue enroscado com a novela da Petrobras na foz do rio Amazonas.

A passagem de Lula pela Colômbia teve grande repercussão na imprensa, com destaques na Agência BrasilBrasil de FatoCorreio BrazilienseDeutsche Welle e O Globo, entre outros.

Ricardo Stuckert/PR

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

um × cinco =