Ribeirinhos pedem suspensão de hidrelétrica em Porto Grande, no AP

Documento foi protocolado nesta quinta-feira (1º) no Ministério Público Federal (MPF). Moradores dizem que prejuízos ocorrem desde funcionamento de hidrelétrica na região

Por Jéssica Alves, G1

Representantes de comunidades ribeirinhas da cidade de Porto Grande, a 102 quilômetros de Macapá, protocolaram nesta quinta-feira (1º) no Ministério Público Federal (MPF) na capital, um documento pedindo a suspensão do funcionamento da hidrelétrica Cachoeira Caldeirão por não cumprir, segundo eles, com o projeto básico ambiental que deveria levar benefícios da comunidade.

Os moradores apontam que desde que a hidrelétrica passou a funcionar no Rio Araguari, diversos impactos ambientais ocorreram e isso causou prejuízos econômicos para a comunidade, a partir da liberação da água represada na barragem. Os problemas foram informados em maio para a Rede Amazônica no Amapá, que foi até o local.

O representante do Movimento dos Atingidos por Barragem do Amapá, Moroni Pascali, informou que famílias que perderam plantações, animais, móveis e tiveram a estrutura das casas comprometidas pela água. As inundações afetaram também locais às margens do rio destinados a desova de animais, como o tracajá. Pelo menos 41 locais foram atingidos com as inundações.

“Pedimos que os órgãos de fiscalização tomem providências, pois a empresa responsável pela hidrelétrica informou que um estudo de impacto foi feito na região, mas estamos suspeitando que isso não foi feito de forma correta. E essa possível falha formou um lago artificial que está prejudicando mais de 80 famílias”, ressaltou Pascali.

Além do pedido para cancelar a licença de operação, os ribeirinhos pedem punição para os licenciadores.

“Verificamos muitas pessoas que foram atingidas pelo lago da Cachoeira Caldeirão. Por isso acionamos o MPF, concernente às tracajás que não tem mais onde desovarem”, adiantou Moroni.

A hidrelétrica informou que está avaliando a situação e vai se pronunciar sobre o assunto na sexta-feira (2).

Hidrelétrica Cachoeira Caldeirão, em Porto Grande (Foto: Reprodução/Rede Amazônica)

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.