TRF4 decide pela nulidade dos títulos da empresa Araupel no Paraná

A área está localizada no imóvel Rio das Cobras, que foi grilado pela empresa Araupel

Por Geani Paula de Souza
Da Página do MST

Hoje os acampamentos Dom Tomás Balduíno e Vilmar Bordim, do município de Quedas do Iguaçu, Paraná, amanheceram com alegria e com a convicção de que a vitória está próxima e que o sangue derramado dos companheiros tombados na luta não será em vão.

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), de Porto Alegre, levou a julgamento o processo que envolve o pedido de decretação de nulidade nas áreas da empresa Araupel.

No primeiro julgamento houve uma vitória parcial para a empresa, porém nesta terça-feira (01), foi revertida, comprovando por 4 votos a 1 a nulidade dos títulos. Foi uma grande vitória para a Reforma Agrária no Paraná, segundo a coordenação do MST.

“Para nós do MST da região centro, a confirmação da nulidade dos títulos da área da Araupel não gerou estranheza, porque nós tínhamos convicção de que essa área era da união, tanto que o MST fez essa denuncia, provocou isso para que o Incra fizesse esse estudo, porque a gente já denunciava que era área publica e grilada pela Araupel”, disse Laureci Leal Coradece, da coordenação regional do Movimento.

O Movimento agora reivindica que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e Governo federal destine essas áreas para o assentamento das famílias acampadas na região.

Acampamento Dom Tomás Balduíno

Na madrugada do dia 6 de julho de 2015, cerca de 1.500 famílias, munidas de foices, facões e bandeiras vermelhas ocuparam parte do latifúndio apropriado pela empresa Araupel, situada no Projeto 4, em Quedas do Iguaçu, Paraná.

No acampamento hoje vivem aproximadamente 800 famílias. A área está localizado no imóvel Rio das Cobras, que foi grilado pela empresa Araupel.

Hoje no acampamento se tem uma das maiores escolas do município, com mais de 480 educandos, reconhecida pelo estado. Isso é mérito do MST, das famílias acampadas, que ali lutam por um sonho por uma vida melhor.

Emboscada da Policia Militar

No dia 7 de abril de 2016, as famílias do acampamento Dom Tomas Balduíno, foram vitimas de uma emboscada realizada pela Policia Militar do Estado e por seguranças contratados pela empresa Araupel.

No ataque foram assassinados os trabalhadores Sem Terra Vilmar Bordim, 44 anos, casado, pai de três filhos e Leonir Orback, de 25 anos, deixou a esposa grávida de nove meses. Também foram feridos mais três trabalhadores.

Hoje as famílias sofrem com a perseguição e preconceito, mas que o MST sabe da importância da Reforma Agrária para o município de Quedas do Iguaçu.

*Editado por Rafael Soriano

Foto: Wellington Leno

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.