Conselho de Gestão Ka’apor: “Nosso Plano de Vida e nossa força é maior que as mentiras e ameaças do governo e madeireiros”

No dia 2 de agosto, este blog recebeu uma “Nota de Associação Kaapor Tá Hury do Rio Gurupi”, acompanhada de um pedido de divulgação que acolhemos. O documento abaixo é a resposta do Conselho de Gestão Ka’apor à nota em questão. (TP)

***

Nosso Plano de Vida e nossa força é maior que as mentiras e ameaças do governo e madeireiros

Nos do Conselho de Gestao Ka’apor queremos esclarecer pra vocês que nossa organização é do nosso povo. Surgiu da nossa cultura, representa nossos antigos Tuxa. Nós temos uma historia que fala da origem dos Tuxa, do nosso Conselho de Gestao Ka’apor.

Em 2003 a funai trouxe um papel pra nos e disse que era a associação. Eles escolheram alguns indígenas e colocaram como diretoria. A gente pensava que ia ajudar a gente defender nossa cultura, nosso território. Mas no final de 2015 a funai do maranhão volta e no inicio de 2016 eles tomou da gente a associação sem fazer eleição. Pegaram os documentos escreveram uma ata, foram no cartório e registraram. Eles escolheram algumas lideranças que era do nosso conselho e ofereceu emprego pra eles. Eles são de três aldeias com apoio de alguns parentes de outras aldeias. Agora eels estao contra a gente. A gente viu que o governo sempre dividiu e enganou os parentes.

O conselho de gestão kaapor é uma organização de nossa cultura, representa todo nosso povo e esta dando certo pra gente. Tem karai que trabalha na funai, na seduc e no polo base e Dsei Maranhao que nunca entendeu nossa cultura, que trabalha aqui so por causa dinheiro e emprego. Não aceita o conselho de gestão kaapor por que a gente cobra, fiscaliza, acompanha, denuncia.

Tem karai que esta usando nossos parentes pra fazer documentos contra nosso conselho de gestao, contra nossos apoiadores, como o josé. Porque eles incentiva e apoia a gente a fazer a gestão de tudo do nosso jeito sem ficar esperando e dependendo do governo. Eles ajudam a gente a organizar nossa educação valorizando nossa língua, cuidando de nossa floresta e proteger nosso território. Apoiam a gente plantar como nossos antigos kaapor para gente comer melhor sem negociar com madeireiro, não colocar pasto e roça grande, não ter alcoolismo, não ter brigas e fofocas, não mentir e negociar nossa floresta. Esses karai do governo, da Funai querem tirar eles pra gente ficar cego, fazer festa de karai, ficar bêbado, vender madeira e estacas, brigar e se cortar na aldeia, depender remédio da farmacia, do comércio, ficar doente, destruir e eles tomar nosso território. Assim está acontecendo nas aldeias que o governo trouxe energia eletrica e acompanha. Eles e os madeireiros estao telefonando, ameaçando de morte lideranças do conselho e o josé porque eles querem voltar a derrubar nossas floresta e roubar madeira. Nos vamos defender nosso territorio ate a morte.

Esse pessoal do governo que ataca o conselho de gestao e nossos apoiadores são evangélicos e parente de madeireiros, fazendeiros. Eles que tem ser expulso daqui porque apoiam e estao fazendo lei pra acabar com nossos direitos e dos quilombolas, invadir  e tomar nossos territórios.

Nos vamos continuar valorizando nossa educação, cultura e nossa língua. Realizando trabalho com nossos guardas florestais pra defender nosso território e melhorar nossa alimentação com nossos kupixa pua – roça tradicional. Valorizando nossos curadores, parteiras e pajés para cuidar de nossa saúde. Vamos continuar lutando do nosso jeito com nossos apoiadores que respeitam nosso jeito de fazer a gestão pra gente continuar construindo nosso Bem Viver aqui e agora.

Conselho de Gestão Kaapor.

Na foto, a liderança Eusébio Ka’apor durante protesto pela proteção do território. Eusébio foi assassinado em 26 de abril de 2015.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.