MPF visitou aldeias na Terra Indígena Vale do Javari, no Amazonas

Foram realizadas reuniões sobre compartilhamento territorial com indígenas das etnias Matis e Korubo, no final do mês de março

Ministério Público Federal no Rio Grande do Sul

O Ministério Público Federal (MPF) realizou visitas à região do Vale do Javari, no oeste do estado do Amazonas, entre os dias 17 e 22 de março, para reunir-se com os povos indígenas das etnias Matis e Korubo, além de dialogar com servidores da Frente de Proteção Etnoambiental (FPE) Vale do Javari, da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai), que atuam na área. Foram realizadas reuniões sobre compartilhamento territorial e direitos socioculturais. Também, foi verificada a estrutura da FPE no Vale do Javari, a situação das escolas e as condições da prestação dos serviços de saúde nas aldeias.

As visitas foram realizadas pelo procurador da República Daniel Luis Dalberto, titular do Ofício de Povos em Isolamento de Recente Contato da 6ª Câmara de Coordenação e Revisão (6CCR) do MPF, a partir de convite dos servidores da FPE do Javari e da Coordenação-Geral de Índios Isolados e de Recente Contato da Funai. Indígenas Korubo e Matis acompanharam as visitas. O MPF também esteve na Base de Proteção Etnoambiental (Bape) no encontro dos rios Ituí e Itacoaí.

O representante do MPF visitou as aldeias Tawaya, Kuraya, Paraíso (Bukuwak) e Nova Geração, no Rio Branco (Biux Wak), todas da etnia Matis. A visita serviu para que Daniel Dalberto pudesse, entre outras coisas, compreender aspectos sobre compartilhamento territorial entre os Matis e os Korubo, “o que requer dias inteiros de amplas conversas, reflexões e debates, feitos no modo indígena de dialogar”, destacou o procurador.

A imersão no território possibilitou o diálogo com os indígenas e conhecimento sobre suas realidades e principais reivindicações de direitos, para o quê, alguns indígenas fizeram a tradução linguística. Além disso, foi constatada a situação dos profissionais de saúde que atuam na área, assim como as deficiências e dificuldades enfrentadas pelos próprios servidores da Funai. No último dia do encontro, os Matis promoveram eventos culturais. Foi realizada a dança do queixada, com a participação de todos e cerimônia de preparo dos meninos guerreiros.

“Senti-me honrado e agradecido por ter sido recebido e acolhido nas aldeias com muita gentileza e respeito, com oferta de comida e bebida tradicional, mas especialmente por ter-me sido dada a oportunidade de compartilhar pensamentos com os Matis e com os Korubo sobre a complexidade e os desafios de sua situação atual, conformada e restrita em certos aspectos a partir das relações e dos institutos nossos”, destacou Dalberto.

Vale do Javari – a região abriga a Terra Indígena (TI) Vale do Javari, com cerca de 85.5 mil km², localizada nos municípios de Atalaia do Norte e Guajará, no oeste do estado do Amazonas, que foi demarcada em 2001 pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso.

A violência na região foi divulgada no noticiário mundial, em junho de 2022, por conta do desaparecimento e posterior assassinato do indigenista Bruno Araújo Pereira, da Funai, e do jornalista inglês Dom Phillips, que trabalhava para o The Guardian, vitimados quando se encontravam na região.

Além de ser a segunda maior reserva indígena brasileira em extensão territorial (apenas a Yanomami é maior), o Vale do Javari abriga a maior concentração de povos isolados do mundo, com acesso restrito por vias fluviais e aéreas.

Foto: Cícero Pedrosa Neto/Amazônia Real

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

11 − três =