MPF MS instaura procedimento para investigar ameaças feitas a grupo de pesquisadores

Professores, incluindo uma da UFGD, atuavam em pesquisa sobre questão indígena e agronegócio quando sofreram a ameaça

O Ministério Público Federal (MPF) em Dourados (MS) instaurou Procedimento Investigatório Criminal para apurar supostas ameaças feitas a quatro pesquisadores, sendo uma professora da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), que conduzem estudo sobre a questão indígena no município.

Após realizar visitas técnicas e entrega de alimentos a famílias indígenas ocupantes da área “Nhu Verá”, próxima ao município de Dourados, em 16 de agosto último, eles teriam sido seguidos por dois homens em uma camionete prata, que teriam dito para que “tomassem cuidado” e não aparecessem mais na área ocupada pelos índios. Os acusados teriam afirmado, em tom ameaçador, que “naquela área havia disputas internas entre os indígenas, que eles possuíam armas e que lá era um lugar perigoso”, reforçando que não gostariam de ver os pesquisadores novamente por lá.

Segundo denúncia registrada no MPF, a ameaça ainda teria sido estendida após a divulgação de dados pessoais de uma das pesquisadoras em uma notícia veiculada no site DiárioMS, que detalhava nome completo, local de trabalho, placa e o modelo de seu veículo.

O objetivo do procedimento investigatório é apurar os fatos e a possível prática dessas ameaças, além da identidade dos indivíduos ocupantes da camionete. O MPF também solicitou informações ao veículo de comunicação DiárioMS, para que sejam esclarecidos os motivos da exposição da intimidade de uma das professoras.

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

um + 18 =