Nota do Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias

“Jair Bolsonaro ratificou ontem, em duas manifestações, que seu governo será voltado para o combate à diversidade humana.

Atacou a população LGBT+ ao dizer que o país não deva ser destino para turismo de gays, por aqui haver famílias. Ora, gays formam famílias e são provenientes de famílias. Trata-se de expressão de homofobia deste presidente que tenta associar a homossexualidade a comportamentos negativos, marginalizando cidadãos tão somente por seus afetos.

E, para ratificar sua intolerância sistemática, Bolsonaro vetou campanha publicitária do Banco do Brasil, culminando com a exoneração do diretor responsável, por não concordar com propaganda que meramente admitia que as pessoas são diferentes entre si.

Os brasileiros são negros, brancos, indígenas, LGBTS, heterossexuais, imigrantes recentes ou antigos, vivem no campo e na cidade, moram em aldeias, em favelas, em bairros ou em situação de rua, professam as mais variadas religiões. Uma pluralidade infinita de corpos, rostos, visões de mundo que merece ser enaltecida e não tratada com desprezo e ódio.

Por essa razão discutiremos e votaremos o mais breve possível, na Comissão de Direitos Humanos e Minorias, o projeto de lei que define os crimes de ódio e intolerância e cria mecanismos para coibi-los. É a contribuição institucional que o Legislativo deve oferecer para que a discriminação com as formas de ser seja freada.”

Brasília, 26 de abril de 2019.

Deputado Helder Salomão

Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias

Reprodução de vídeo do Banco do Brasil censurado por Jair Bolsonaro

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

20 + sete =