Pra não esquecer

Por Manaira Medeiros, Século Diário

 Não está fácil mesmo para Paulo Hartung (PMDB) e Samarco/Vale-BHP! Há quase um ano e meio fazendo das tripas coração para que o maior crime socioambiental do País caia no esquecimento e consigam logo garantir a retomada das operações em Anchieta (sul do Estado), o governador e as mineradoras acabaram assombrados logo com uma escola de samba do Rio de Janeiro, a Portela – no Carnaval do Espírito Santo, de fato atingido, o assunto passou ileso.

Dedicar ao desfile uma ala e alegoria somente para o crime do rompimento da barragem, detalhe, sob a ótica dos atingidos, que Hartung e as empresas tanto ignoram, já não deve ter sido fácil de aturar. Pior, ainda, dormir com o barulho de campeã, como consagrado nessa quarta-feira (1), depois 33 anos sem levar o título. A escola de Madureira lembrou tudo que os (ir) responsáveis no Estado fingem não ver. A alegoria “Um Rio que era Doce”, um dos pontos fortes do desfile, era um carro em lama com esculturas de pescadores em pranto porque não podem mais viver do rio, que morreu. A encenação do ator, Alexandre Maguolo, emocionou. Já a ala “O Lançamento do Rio Doce”, apresentou componentes, também sujos de lama, carregando placas com dizeres como “crime”, justiça”, “lamento”, “morte” e “desespero”. O desfile e a vitória da Portela reforçaram as cobranças nas redes sociais, tanto de movimentos sociais como de atingidos e da própria população. Para Hartung e a Samarco/Vale-BHP, que outro dia apareceram na imprensa todos-todos anunciando o retorno das operações, enquanto os atingidos continuam desassistidos, foi um protesto num momento pra lá de oportuno e em rede nacional. Será que agora eles seguram um pouco o lobby?

Omissão em rede

Lembrando que entram aí também a classe política do Estado, que só sabe pedir a volta da Samarco e não faz qualquer apelo em nome dos atingidos de Baixo Guandu, Colatina e Linhares, no norte do Estado, além dos governos Michel Temer e de Minas Gerais, todos juntos e misturados em atender aos interesses da mineradoras, conhecidas financiadoras de campanha eleitoral. Aliás, do crime mesmo, já esqueceram tem tempo.

Caravana

Não deu pra quem quis a visita ao Estado do ministro da Saúde, Ricardo Barros, nesta quinta-feira (2), por conta da febre amarela. A senadora Rose de Freitas (PMDB), que reivindica pra si o convite ao ministro, reservou lugar cativo ao lado dele durante as passagens por postos de vacinação na Grande Vitória. E teve mais gente, claro, querendo sair na foto…

Caravana II

Os prefeitos de Vitória, Vila Velha, Serra, Cariacica e Viana – Luciano Rezende (PPS), Max Filho (PSDB), Audifax Barcelos (Rede) e Juninho (PPS) e Gilson Daniel (PV) -; deputados federais Carlos Manato (SD) e Lelo Coimbra (PMDB); deputadas estaduais Luzia Toledo (PMDB) e Janete de Sá (PMN) e o pedetista Da Vitória são alguns dos nomes que aparecem nas fotos espalhadas nas redes sociais. Só que a população não quer nem saber de vitrine, e sim de vacina.

Dindim

O ministro também se reuniu com Hartung. O governador cobrou dele dinheiro – repasses que deveriam ser da União, mas, segundo Hartung, têm sido arcados pelo Estado. Da parte da gestão estadual, desfilaram com o ministro o vice-governador César Colnago (PSDB) e o secretário estadual de Saúde, Ricardo de Oliveira.

Amor antigo

O ex-vereador de Vitória, Zezito Maio (PMDB), está oficialmente nomeado no cargo comissionado de subsecretário estadual da Agricultura. Ele, definitivamente, não consegue brigar com Paulo Hartung, de quem ensaiou um afastamento após ter ficado isolado na disputa à reeleição, perdendo a cadeira na Câmara.

Roda, roda

Quem também recebeu abrigo no governo foi Marcelo Oliveira, filho do ex-deputado estadual Nilton Baiano. Ele era secretário da gestão Rodney Miranda (DEM) em Vila Velha e, agora, foi acomodado na subsecretaria estadual de Habitação e Regularização Fundiária, cargo da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), que passou a ser comandada pelo mesmo Rodney. Sempre tem espaço pra Marcelo.

Demorou

Depois de anos de polêmica e atrasos, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) parece que finalmente mudará sua sede para a avenida Fernando Ferrari, em Vitória. A diretoria do órgão designou uma comissão de servidores para tratar de todo o processo. O caso é alvo de investigação do Ministério Público de Contas. Adquirido em 2009, o imóvel já custou aos cofres públicos R$ 27,2 milhões, mesmo parado até hoje.

Perdeu tamanho

Pela quantidade e frequência de e-mails enviados pelo PSB no Estado, convocando para recadastramento e novas filiações, a situação não deve ser das melhores. Quem sabe convence pela insistência. Quem sabe…

Nas redes

“O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) parabeniza a escola de samba Portela pela representação no desfile na Sapucaí, no Rio de Janeiro, e continua denunciando a impunidade deste crime e o desrespeito por parte das empresas [Samarco/Vale-BHP] aos atingidos vítimas desta tragédia”. (Movimento dos Atingidos por Barragem – MAB – no Facebook).

PENSAMENTO:
“É covardia ser leão entre ovelhas”. Luís de Camões

Enviado para Combate Racismo Ambiental por Alenice Baeta.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.