Banho de veneno sobre terra indígena Marãiwatsédé

Avião agrícola foi flagrado dispersando agrotóxicos em uma área de mata densa dentro da Terra Indígena Marãiwatsédé

Na Opan

Cuiabá (MT) – No dia 16 de março de 2018, um avião agrícola foi flagrado despejando veneno dentro da Terra Indígena Marãiwatsédé, no nordeste de Mato Grosso. Ele sobrevoava uma lavoura da Fazenda Indiara, vizinha ao território xavante, mas dava numerosos rasantes e dispersava agrotóxicos em uma das poucas áreas de mata densa, ignorando a existência da terra indígena.

O cheiro insuportável do veneno incomodou os moradores da aldeia Madzabdzé e, segundo os Xavante, provocou um surto de doenças respiratórias especialmente entre as crianças. A legislação brasileira de “faz de conta” supõe proteção a aglomerações urbanas, rurais e mananciais a apenas 250 metros das áreas de pulverização aérea – o que, ainda assim, foi violado pelo piloto flagrado nas imagens.

Banho de veneno sobre terra indígena

Banho de veneno sobre terra indígena Marãiwatsédéhttps://racismoambiental.net.br/2018/04/03/banho-de-veneno-sobre-terra-indigena-maraiwatsede/

Publicado por Combate Racismo Ambiental em Terça-feira, 3 de abril de 2018

 

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.