Nota do Povo Ka’apor: “Jeje ukwa katu ha – Autonomia e Autodefesa é nossa segurança”

Sob grande pressão de madeireiros e fazendeiros da região, os Ka’apor se viram obrigados a criar duas novas áreas de proteção nos limites do território, onde indígenas da Guarda de Autodefesa estão com suas famílias para impedir o desmatamento e a invasão com as boiadas. Há outras áreas vulneráveis sob ataque, entretanto, com destaque para o território dos Awá, já invadido. Na Nota abaixo, os Ka’apor expressam sua tomada de posição quanto à violência que denunciam estar também atingindo “nossos parentes em outras partes do Brasil”. (TP)

***

“Jeje ukwa katu ha – Autonomia e Autodefesa é nossa segurança”

Nós povo Ka’apor queremos ser solidários aos parentes Awá, Kaiowá, Parakanã, Arara, Yanomami, Xavante, Karipuna, Uru-Eu-Wau-Wau e outros que agora estão sendo perseguidos, ameaçados, seus territórios invadidos.

Queremos dizer parentes que não vamos aceitar esses ataques, nem ficar dependendo de governo que só mente pra nós, e esperar pela burocracia deles pra proteger a gente e nossos territórios. Ainda mais que tem parente traindo a gente, enganados com as armas deles que só serve pra nos dominar e matar.

Desde o inicio do contato só quiseram conhecer a gente pra dominar e tomar nossos territórios. Continua assim até hoje. Por isso que a gente retomou nossos Tuxa ta pame – Conselho de Gestão Ka’apor que orienta nossos Tuxa tekoha ru piha – Conselho da Comunidade.

Criamos nossos Ka’a usak ha ta – Guarda de Autodefesa Ka’apor para fazer a autovigilância do território e criar nossas Ka’a mu katu ha – Áreas de Proteção para recuperar o que foi destruído pelos Awa’i e criar o nosso jeito de bem viver na floresta com nossos Ka’a mu katu ha rehe usak ixo ame’ĕ ta – Ka’apor que cuida e sabe viver na floresta.

Parentes a gente buscou escutar o que Mair – espirito sábio da floresta quer ensinar pra gente continuar no bem viver. Por isso acreditamos que a Floresta é o nosso Jumu’e ha renda Keruhũ – Centro de Formação Saberes Ka’apor onde fortalecemos nossa cultura, nossa língua, nosso jeito de ser Ka’apor. Acreditamos que Ka’a namõ jumu’e ha katu – aprendendo
com a Floresta, que Janderuhã ha ka’a rehe – Nosso plano de vida está na floresta. Por isso, criamos nossa sétima Ka’a mu katu ha – Área de Proteção Ka’apor.

Vamos continuar acampados aqui nos limites para criar nossa oitava área de proteção e dizer pra os fazendeiros e madeireiros da região que Mair está vivo em nossa coragem, força e resistência.

Acampamento Guarda de Autodefesa Ka’apor. Foto: Povo Ka’apor

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

vinte + 4 =